UBE

POSICIONAMENTO DE UM VERDADEIRO HOMEM DE DEUS SOBRE A POLÍTICA

26 maio 2010

CarlosApós publicamos o post LIDERANÇA ASSEMBLEIANA NACIONAL NEGOCIA APOIO A PRESIDENCIÁVEIS, solicitamos humildemente ao nobre e renomado pastor Carlos Roberto, editor do conceituado blog POINT RHEMA, o seu comentário sobre o assunto.

 

Eis o comentário na íntegra:

Prezado Charlles Oliveira,

A Paz do Senhor!

Em primeiro lugar, quero agradecer o convite para esboçar meu comentário em tão relevante assunto, mormente no ano em curso.

Em seguida, esclareço que participo de diversas instituições assembleianas, a partir da Igreja onde sirvo, até a CGADB que é o órgão maior dentro da ordem que congrego, no entanto, meu parecer é estritamente pessoal, e isso não caracteriza qualquer interesse banal de conflitar com o pensamento de outros que possam pensar diferentemente, mesmo que sejam pares dentro dessas instituições.

Creio que a Igreja, como corpo de Cristo, não precisa de política,uma vez que Jesus Cristo é o dono da sua obra, porém, na condição de instituição constituída por cidadãos comuns, precisamos sim de um bom relacionamento com os poderes constituídos, e esses, queiramos ou não, chegam ao exercício de suas funções através da política.

Em assim sendo, entendo que a maior participação da igreja como instituição, não é a oficialização do voto de cabresto, mas a conscientização de seus membros para um voto coerente com os nossos princípios, mantendo logicamente a liberdade de pensar e agir de cada cidadão.

Nessa linha de pensamento, entendo que tal conscientização, na eleição vigente, necessariamente teria que passar pela presidenciável Marina da Silva, uma vez que até prova em contrário, é uma irmã em Cristo, e em particular da nossa Assembléia de Deus, uma doméstica na fé.

Quanto a participação de líderes da Igreja na política, quero aqui registrar que já fui alvo de convites e até mesmo pressões, mas continuo com a Palavra de Deus que nos ensina:
" Aquele que milita a boa milícia, não se embaraça com as coisas desta vida, a fim de agradar aquele que o alistou para a obra."

Simples, raso e objetivo!

Não é nada contra qualquer pessoa, é apenas uma questão de princípio.

Agora, se essa pessoa entendeu que existe uma mudança de direção em sua vida, que mude então e vá para a nova direção que recebeu. A conciliação das duas coisas, no meu entender, é no mínimo explosiva. Creio que existem muitas pessoas capacitadas em nosso meio para exercerem essa representatividade, e não necessariamente um líder da Igreja.

Sei que esse meu entendimento é o de muitos, porém, a maioria não têm a coragem de se expressar, e sei que há motivos para isso.

Também não saio por aí afrontando esse ou aquele, afinal, esse não é o meu perfil e isso também traz conseqüência, mas fazer o que, isso faz parte da vida de quem tem uma visão definida.

Não estou condenando a política, pois entendo que deve haver conscientização do nosso povo, mas é preciso limites, principalmente sabendo que é tênue a linha que separa o corretas e antiéticas.

Outrossim, reitero que esse posicionamento não se refere apenas ao que foi citado na sua matéria, mas no geral, inclusive naqueles casos mais simples até mesmo de vereança nas menores cidades.

Um grande abraço!

Pr. Carlos Roberto

V.Presidente da Assembléia de Deus - Min. de Cubatão-SP, V.Presidente Executivo da COMADESPE - Convenção dos Ministros da Assembléias de Deus no Estado de São Paulo e Outros - Gestão 2009/2011, Membro do Conselho de Doutrina da CGADB - Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil - Gestão 2009/2013 e Relator do Cons. Consultivo da UNIPEC - Conselho de Pastores e Líderes Evangélicos de Cubatão - Gestão 2009/2011.

 

NOTA DO AUTOR:

Por Presbítero Charlles Oliveira.

Compartilho particularmente do posicionamento do Pr. Carlos Roberto; cônscio do direito que todo cidadão goza de disputar um cargo público elegível. Também sou favorável a conscientização conduzida pela liderança eclesiástica do voto dos membros e congregados, principalmente diante da proliferada corrupção política que assola o Brasil.

Deixemos de tratar a “política” como sendo do diabo, escrachando irresponsavelmente uma temática tão séria e vital para o bem-estar do povo brasileiro; assumamos nossa responsabilidade diante do decepcionante cenário político atual, que se fortalece graças ao despreparo do eleitorado.

Já ouvi, e não foram poucas as vezes que os pastores do púlpito bradavam: “O crente é o povo mais sabido da Terra!” Somos?

Bom seria que isso fosse verdade; mas a realidade infelizmente é outra.

Vote com consciência, com sabedoria e principalmente com fé! Pessoalmente, minha posição é favorável aos LEGÍTIMOS domésticos da fé – aos irmãos candidatos.

NÃO VOTAREI no: bandido, pedófilo, mafioso, traficante, assassino, prostituto, feiticeiro, idólatra, simpatizante ao movimento homossexual, e ou  escarnecedor da Igreja do Senhor.

E VOCÊ, EM QUEM VOTARÁ?

3 comentários :

  1. "NÃO VOTAREI no: bandido, pedófilo, mafioso, traficante, assassino, prostituto, feiticeiro, idólatra, simpatizante ao movimento homossexual, e ou escarnecedor da Igreja do Senhor.

    E VOCÊ, EM QUEM VOTARÁ?"


    Esta é uma campanha pró-Marina?

    ResponderExcluir
  2. Meu amado Pb Charles a Paz do Senhor, tem gente com estas características até dentro da igreja, mas eu compartilho com o sentimento da mensagem do Pr.Carlos Roberto, este homem tem o meu respeito por sua coragem em se manifestar em favor da verdade, isto sim demonstra temor e conhecimento da Palavra. Deus procura homens que não estejam preocupados com as questões do mundo, estamos no mundo mas não somos do mundo, somos cidadãos dos céus, deixemos as questões terrenas para os carnais, a palavra do Senhor quando se refere aos domésticos da fé, fala de praticarmos caridade, amar, e não de elegermos um doméstico na fé para um cargo público, onde na bíblia encontramos qualquer referência de que devemos nos infiltrar no poder público para mudar o sistema? Foi isto que Jesus nos ensinou? Fois isto que Pedro, Paulo, Tiago, André,João e tantos homens da igreja primitiva fizeram? Julgaremos o mundo juntamente com o Senhor, mas quem me deu autoridade para julgar o mundo enquanto homem natural? O Pr. Carlos disse e disse-o bem, quem é pastor, chamado pelo Senhor para apascentar ovelhas deSeu aprisco deve se ocupar de questões políticas? Questões públicas? ou obedece á chamada ou obedece ao seu instinto natural de homem carnal, as 2 coisas não devem andar juntas, Deus certamente não aprova isto, ou você acha que se Ele quisesse não teria colocado um servo Seu no poder? Queremos mudar as coisas no Brasil, mas o que dizer de tantos outros países em que o evangelho nem consegue entrar? Temos que começar uma mudança sim, em nós mesmos, nos preocuparmos mais com as questões celestiais, em cumprir as ordens de Nosso Mestre em andarmos em retidão, em santidade, em oração, em adoração. O mundo jaz no maligno, não poderemos ainda que quiséssemos, adiar o apocalipse, Jesus está às portas e aquele que se encontrar embaraçado com os negócios desta vida certamente perecerá.

    ResponderExcluir
  3. Prezado Edvaldo,

    “Não sabeis vós que os santos hão de julgar o mundo? Ora, se o mundo deve ser julgado por vós, sois porventura indignos de julgar as coisas mínimas? Não sabeis vós que havemos de julgar os anjos? Quanto mais as coisas pertencentes a esta vida?” (1Co 6.2,3).

    Não podemos fechar os olhos e fingir que não estamos no mundo. O céu não é aqui.

    Como ‘nascido de novo’ temos a cidadania celestial, todavia ainda somos carnais, ainda habitamos na terra. Jesus não nos transformou em anjos, é verdade que temos a promessa da transformação final quando Ele se manifestar, ai seremos transformados (por dentro e por fora) integralmente e viveremos para sempre com Ele no céu.

    Então, como cidadão brasileiro, me preocupo sim! Por isso tenho orado, pedindo a Deus pelo futuro da nossa nação, pois tenho dois filhos pequenos, o rumo do Brasil é do meu interesse. Desejo que minha família viva em um país democrático, livre de preconceitos e violências, com oportunidades iguais para os jovens, saúde e moradia para todos, sem fome, analfabetismo e desemprego. Desejo que meus filhos tenha liberdade de expressão, que possam professar livremente a fé em Jesus Cristo. Oro a Deus para que as autoridades resolvam o impacto devastador que o desenfreado consumo de drogas está promovendo na nossa sociedade, destruindo famílias e vitimando as nossas crianças e jovens. Desejo leis mais severas para os pedófilos, estupradores e quaisquer que cometam violência sexual. Desejo que Deus seja o SENHOR da nossa nação, e a nossa sociedade brasileira desfrute de seu amor e misericórdia.

    Por isso, amado Edvaldo, tenho muita preocupação ao votar, pois a minha expectativa e o futuro da minha família será depositada em um representante que governará por 4 anos a minha amada nação. Votarei com consciência e convicção, cônscio que continuarei orando por dias melhores para todos nós.
    Deus nos abençoe.

    ResponderExcluir

COMENTE, todavia seja respeitoso e identifique-se, comentário "anônimo" não será postado. Obrigado!

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial
 
Copyright © 2015. O ASSEMBLEIANO .
Design by Herdiansyah Hamzah . Published by Mais Template .
Creative Commons License