UBE

EBD: O PODER DA VERDADEIRA PROFECIA. Subsídio e comentário

19 maio 2010

EBD-8

DEVOCIONAL

Texto Áureo:

"À lei e ao testemunho! Se eles não falarem segundo esta palavra, nunca verão a alva" (Is 8.20).

Verdade Prática:

Os dons espirituais não se destinam à autopromoção; são concedidos por Deus à Igreja, visando a edificação dos santos e a divulgação sobrenatural do Evangelho de Cristo.

Leitura Bíblica em Classe:

Jeremias 28.5-12,16,17

 

PLANO DE AULA

I. OBJETIVOS:

1. COMPREENDER qual é a função e a relevância do profeta de acordo com as Escrituras ;

2. SABER que os falsos profetas sempre vão se opor aos profetas do Senhor;

3. CONSCIENTIZAR-SE de que, nos últimos dias, aparecerão muitos falsos profetas que, se possível, enganarão até os escolhidos.

 

II. CONTEÚDO:

1. O QUE É O PROFETA

Duas palavras hebraicas podem ser aplicadas ao profeta:

(1) Ro’eh - Substantivo que significa “vidente”, a capacidade especial de ver na dimensão espiritual e prever eventos futuros. O termo sugere a incapacidade do profeta ser enganado pela aparência das coisas, pois ele via na perspectiva do próprio Deus (2 Rs 6.15-17).

(2) Nabi’ – Ocorre 316 vezes no AT como a principal palavra hebraica para “profeta”. Segundo Davis, o termo significa “mestre infalível com autoridade para falar em nome de Deus, constituindo uma classe de homens chamados por Deus para falarem ao seu povo, dando-lhes palavras e conferindo autoridade para falar em seu nome” (Dt 18.18,119). No grego é prophetes, “aquele que fala em lugar de outrem”. Os profetas falavam em lugar de Deus ao povo da promessa – Bíblia de Estudo Pentecostal.

Sua função e relevância:

No AT, o profeta destacava o modo de vida do povo de Deus, sua conduta e interferia em suas questões morais. Sua mensagem era de repreensão quando não cumpriam seus deveres para o Criador, denunciando a prática pecaminosa daqueles que se desviavam do Senhor. Comumente, o profeta estava sempre na contra-mão da sociedade em sua volta, pois era um ferrenho guardião das leis divinas, ensinando o código moral, ético e espiritual do Deus Vivo. Sua disposição estava em favor do povo, buscando despertá-lo para uma vida santificada junto de Iavé.

No NT, a função do profeta consiste em proclamar e ensinar a Palavra de Deus, exortando, consolando e edificando a igreja do Senhor. O homem é por Deus chamado para exercer o ofício profético na igreja (Ef 4.11). O “dom ministerial de profecia” do NT difere do ministério profético do AT, pois no novo concerto a fonte da mensagem é a Bíblia, a Palavra infalível de Deus, podendo por meio do “dom de profecia” ser impulsionado momentaneamente pelo Espírito Santo a transmitir uma revelação diretamente de Deus.

Ao profeta do NT é imprescindível o zelo a doutrina, os bons costumes, a pureza moral e espiritual, separar-se do mal, atitude contínua de oração e dependência divina, e a capacidade de combater os falsos profetas que se levantam no meio do povo de Deus.

 

2. OS FALSOS PROFETAS SE OPÕEM AOS PROFETAS DO SENHOR

“O profeta que profetizar de paz, quando se cumprir a palavra desse profeta, será conhecido como aquele a quem o SENHOR na verdade enviou” (Jr 28.9).

Hananias ouviu atentamente a mensagem do profeta, respondendo veemente com a quebra do jugo simbólico. Jeremias fica em silêncio e segue o seu caminho, deixando para trás uma multidão eufórica e impressionada com a veemência do Hananias.

Para o profeta Jeremias aquele não era o momento adequado para responder a Hananias, a resposta partiria do Senhor.

O que sucede neste episódio é a questão entre o profeta verdadeiro e o falso, quem estava falando em nome de Deus?

Na definição da Bíblia de Estudo Pentecostal, no AT o profeta era considerado falso: (1) se desviasse as pessoas do Deus verdadeiro para alguma forma de idolatria ou falso culto (Dt 13.1-5); (2) se praticasse adivinhações, astrologia, feitiçaria, bruxaria e coisas semelhantes (Dt 18.10,11); (3) se suas profecias contrariassem as Escrituras (Dt 13.1-5); (4) se não denunciasse os pecados do povo (Jr 23.9-18); e (5) se predissesse coisas específicas que não cumprisse (Dt 18.20-22).

Hananias se adéqua perfeitamente ao grupo dos falsos profetas da atualidade.

No NT, o apóstolo João foi contundente ao esclarecer sobre a condição do falso mestre (ou profeta): “todo aquele que prevarica e não persevera na doutrina de Cristo, não tem a Deus; quem persevera na doutrina de Cristo, esse tem tanto o Pai como o Filho. Se alguém vem ter convosco e não traz esta doutrina, não o recebais em casa, nem tampouco o saudeis” (2 Jo v.9,10).

Ainda conforme os escritos joanino, os falsos profetas contemporâneos são movidos pelo espírito do anticristo (v.7), pois com seus ensinos fraudulentos negam a Jesus Cristo, pervertendo a fé verdadeira dos crentes mais simples.

Diante da ameaça que circunda nossa igreja, devemos observar com diligência os conselhos do “apóstolo amado” que diz: “Amados, não creiais em todo espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo” (1 Jo 4.1).

No novo concerto a mensagem do profeta não é infalível, ela é submetida ao julgamento da igreja. É responsabilidade dos lideres discernir e julgar o conteúdo da mensagem profética. A Bíblia é a autoridade máxima na igreja, digna de toda aceitação.

Assim sendo, enquanto se levantar falsos profetas no meio do povo de Deus, haverá de ser necessária a pregação expositiva da Bíblia Sagrada por homens santos e dignos de toda confiança e aceitação, desmascarando os enganos de Satanás – o pai da mentira.

 

3. NOS ÚLTIMOS DIAS MUITOS FALSOS PROFETAS SURGIRÃO

Disse Jesus: “Então, se alguém vos disser: Eis que o Cristo está aqui ou ali, não lhe deis crédito, porque surgirão falsos cristos e falsos profetas e farão tão grandes sinais e prodígios, que, se possível fora, enganariam até os escolhidos” (Mt 24.23,24).

Na atualidade os falsos profetas são lideres religiosos, evangélicos, pastores, super-pregadores de fama internacional que “dizem às pessoas o que elas querem ouvir – como ‘Deus quer que você seja rico’, ‘Faça o que os seus desejos lhe ordenarem’ ou ‘Não existe pecado ou Inferno” (Comentário do NT Aplicação Pessoal). Jesus em Mateus capítulo 24 e versículo 25 alerta: “Eis que eu vos tenho predito”.

Novas revelações, ocultismo, astrologia, feitiçaria, espiritismo e satanismo já estão no meio do movimento neo-pentecostal, disfarçado como “unção” e “mover” de Deus.

Por trás destas falsas manifestações há a operação dos demônios como diz Paulo à Timóteo: “Mas o Espírito expressamente diz que, nos últimos tempos, apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios, pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência” (1 Tm 4.1,2).

O momento é de cautela. Vigiar é a melhor alternativa nesta última hora. Fiquemos com o conselho paulino: “Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina; persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvarás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem” (1 Tm 4.16).

 

Boa aula!

 

BIBLIOGRAFIA:

Bíblia de Estudo Pentecostal

Comentário do NT Aplicação Pessoal – volumes 1 e 2

O Novo Comentário da Bíblia F. Davidson

Nenhum comentário :

Postar um comentário

COMENTE, todavia seja respeitoso e identifique-se, comentário "anônimo" não será postado. Obrigado!

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial
 
Copyright © 2015. O ASSEMBLEIANO .
Design by Herdiansyah Hamzah . Published by Mais Template .
Creative Commons License