UBE

CRISE NA CGADB: PR. GEREMIAS DO COUTO TAMBÉM RENUNCIA!

10 junho 2010

gse_multipart13174Após as renúncias do pastor Silas Malafaia (ex 1º vice presidente CGADB) e do pastor Antonio Silva Santana (ex 1º Tesoureiro da CGADB), agora foi a vez do renomado pastor Geremias do Couto, Conselheiro Político da Convenção Geral das Assembléias de Deus do Brasil (CGADB) emitir sua Carta de Renúncia. A notícia foi veiculada pelo próprio pastor em seu blog Manhã com a Bíblia, nesta quarta-feira (8).
 
 
SEGUE O TEXTO NA ÍNTEGRA:
Com a finalidade de evitar distorções aos que tomarem conhecimento da notícia através de terceiros, publico neste blog, em primeira mão, a carta que ontem, 8 de junho de 2010, protocolei junto à Secretaria-Geral da CGADB, na qual apresento as razões e comunico a minha renúncia, em caráter irrevogável, como membro e, consequentemente, secretário do Conselho Político da CGADB.
 
Como afiliado à entidade, continuarei a propugnar pelo seu fortalecimento e permanecerei atento aos desdobramentos do affair que ora se desenrola, pois o que mais desejo de coração é ver uma CGADB saudável, que bem represente as Assembleias de Deus e seja instrumento de agregação da liderança em todo o Brasil, vencendo essa etapa tão desgastante e lamentável que tomou vulto no curso dos últimos anos desde a Assembleia Geral Ordinária do Anhembi.
 
Aproveito o ensejo para pedir aos honrados acompanhantes deste blog que orem por mim para que eu seja achado digno diante dAquele que sonda "rins e corações". Aos colegas do Conselho Político com os quais trabalhei, desejo que possam ser usados por Deus numa área que reconheço extremamente complexa e com variáveis difíceis de administrar.
 
Segue a carta-renúncia:
 
Ao Exmo. Senhor
 
Pastor José Wellington Bezerra da Costa
MD. Presidente da CGADB
Rio de Janeiro, RJ
 
CONSIDERANDO que por ocasião da Assembleia Geral Ordinária da CGADB realizada em abril de 2009, na cidade de Serra, ES, solicitei pessoalmente ao presidente da entidade, pastor José Wellington Bezerra da Costa, que não mais considerasse o meu nome para compor o Conselho Político da CGADB;
CONSIDERANDO que tal decisão tinha como motivo o fato de estar assoberbado com outras atividades que me eram, e continuam sendo, prioritárias no âmbito do Reino de Deus;
CONSIDERANDO que, posteriormente, ao ler o MENSAGEIRO DA PAZ, fui surpreendido com a manutenção do meu nome na mesma função, embora tenha feito a solicitação acima já mencionada;
CONSIDERANDO que para evitar maiores transtornos resolvi acatar a decisão do presidente, embora não tenha participado de nenhuma reunião do colegiado em razão de minhas prioridades e de, além disso, ter-me submetido a um demorado tratamento de saúde;
CONSIDERANDO que dado também aos recentes episódios em que me posicionei de forma clara e aberta contra a publicação da Bíblia Dake pela CPAD sem que até hoje esse impasse tenha sido resolvido;
CONSIDERANDO que, embora entenda como salutar a participação de cristãos vocacionados na vida pública, percebo que o Conselho Político perdeu o foco de fomentar essa participação como órgão de conscientização para que estes sejam instrumentos de transformação social em todos os segmentos da sociedade;
CONSIDERANDO que à luz da resolução aprovada na Assembleia Geral Ordinária realizada em Belo Horizonte, MG, a qual recomenda aos ministros titulares não se candidatarem a cargos eletivos, bem como ante a minha própria convicção à luz da Bíblia, eu estaria em flagrante contradição com os princípios que esposo, caso me mantivesse calado diante de alguns casos sabidos de ministros titulares que postulam candidaturas no próximo pleito;
CONSIDERANDO que meus recentes posicionamentos em relação ao modo como vejo a condução administrativa da CGADB/CPAD não me deixam à vontade para ocupar a mencionada função;
ENCAMINHO, em caráter irrevogável, a minha renúncia como membro e, consequentemente, secretário do Conselho Político da CGADB, ao mesmo tempo em que agradeço a confiança e oro para que todos sejamos sensíveis ao Espírito Santo na condução dos destinos de nossa tão amada Assembleia de Deus.
 
Rio de Janeiro, 8 de junho de 2010
Geremias dos Santos Couto
 

2 comentários :

  1. qual será o motivo de tanta renunucia na cgadb? porque será que homens de Deus tão saindo, de patamares cobiçadissímos? será que eles estão descobrindo algo?
    será a politica eclesiastica não tem atrapalhado a entidade?
    não sei isso me deixa muito curioso............

    ResponderExcluir
  2. Caro 'Anônimo',

    Infelizmente, é o 'princípio das dores', a ponta do iceberg!

    Deus tenha misericórdia de todos nós.

    Pb. Charlles Oliveira

    ResponderExcluir

COMENTE, todavia seja respeitoso e identifique-se, comentário "anônimo" não será postado. Obrigado!

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial
 
Copyright © 2015. O ASSEMBLEIANO .
Design by Herdiansyah Hamzah . Published by Mais Template .
Creative Commons License