UBE

EBD: Dons que manifestam a sabedoria de Deus

07 maio 2011

Nunca foi tão necessária à igreja do Senhor a manifestação da Sabedoria de Deus como nos dias atuais.

Bombardeados por inúmeras heresias, modismos e pseudo-pentecostalismo, é hora de engatarmos uma marcha ré e voltarmos à escola apostólica, nos assentarmos aos pés dos pais da igreja e resgatarmos o princípio doutrinário dos dons espirituais – habilidades sobrenaturais fundamentais para a edificação e expansão da Igreja do Senhor Jesus em detrimento as “portas do inferno” que avançam contra a santa Igreja.

É hora de retornarmos! Estamos às vésperas do Centenário, muitos motivos para festejarmos, se não fosse à sensação de perda. Sim, alguns “tesouros” ficaram para trás, caídos a beira do caminho.

Cultos de oração sem oração, sem súplicas, sem ação de graças nem clamor. O silêncio ímpera, o vento frio da ausência do Espírito Santo congela o coração. O que falar da doutrina que não é doutrina? Dos pregadores que não lêem a Bíblia, dos que não amam as almas?

Crentes sonolentos, cultos engessados, subjugados pelo braço do homem. Cadê a alegria? A voz de júbilo? Sinto falta do ardor que a Palavra provocava no coração quando ouvíamos falar de Jesus. Das rajadas de línguas estranhas nos cultos da congregação; dos hinos “misturados” com aleluias e glórias a Deus. Do irmão chorando e pulando ao ser batizado com Espírito Santo e com fogo!

Sabe, sinto muita falta do batido de pé, forte... da mão levantada e do dedo em riste, voz firme e vibrante que dizia: “Assim diz o Senhor!”

Infelizmente deixamos de lado tudo isso, alegando falta de sabedoria, meninices e operações diabólicas, desprezamos as riquezas do Espírito e nos empanturramos com a frieza do legalismo, da pseudo “decência e ordem”.

Amanhã quando estiver ensinando tenho certeza que terei que me reportar ao passado para exemplificar alguma manifestação destes dons, pois neste trimestre o saudosismo se faz necessário diante de uma igreja que desconhece a manifestação do Espírito de Deus!

 

1. Os dons do Espírito Santo

Na aula passada aprendemos que os crentes fiéis são instrumentalizados pelo Espírito Santo na manifestação dos dons espirituais na igreja. A operação sobrenatural do Espírito promove a edificação da congregação.

Hoje vamos aprender um pouco mais sobre os nove dons relacionados pelo apóstolo Paulo em 1 Co 12.8-10, enfatizando especialmente os “dons que manifestam a sabedoria de Deus”, também classificados como “dons de inspiração”.

a) Dom da Palavra da Sabedoria (v.8): É a mensagem pronunciada pelo crente mediante a operação direta do Espírito Santo, revelando a sabedoria divina numa situação específica;

b) Dom da Palavra do Conhecimento (v.9): Diferente do conhecimento adquirido pela leitura e estudo, este dom é a inspiração do Espírito Santo capacitando o crente compreender determinada situação sobrenaturalmente, enxergando a situação além da esfera material;

c) Dom da Fé (v.9): Diferente da fé salvífica, a fé como dom permite ao crente acreditar intensamente no poder de Deus alcançando milagres e maravilhas. Lembre-se que o dom da fé é manifestado em situações específicas;

d) Dons de Curas (v.9): Considere que este “dom” é plural, indicando que inspirado pelo Espírito Santo o crente é dotado de poder para cura de diferentes doenças, recuperando a saúde do enfermo por meio do poder de Deus;

e) Dom de Operação de Maravilhas (v.10): Pelo poder do Espírito Santo o crente é encorajado a intervir nas leis naturais, realizando obras fora do comum, sobrepujando o natural através da operação divina;

f) Dom de Profecia (v.10): Muito similar ao dom de interpretação de línguas, é a revelação divina por intermédio do Espírito Santo na instrumentalização do crente para transmissão da Palavra de Deus à congregação. A mensagem do portador é inspirada diretamente pelo Espírito, quer seja numa pregação, ou numa “revelação” propriamente dita;

g) Dom de Discernimento de Espíritos (v.10): É a capacidade que o Espírito Santo concede ao crente de discernir ou conhecer corretamente a fonte de uma mensagem; se ela provém de Deus, do homem ou do diabo;

h) Dom de Variedades de Línguas (v.10): Já exploramos este dom noutra oportunidade, portanto irei transcrever o que disse anteriormente: é um desdobramento da língua inicial do batismo com o Espírito Santo. É como se o crente possuísse a fluência da “língua celestial”. O dom de línguas permite ao crente, por intermédio do Espírito, um diálogo fluente e diversificado com Deus, orando com eficácia, mas sem entendimento, pois quem falar em línguas, fala em mistérios com Deus;

i) Dom de Interpretação de Línguas (v.10): Este dom permite ao portador a capacidade de entender o significado das línguas estranhas, transmitindo simultaneamente a mensagem à igreja.

 

2. Dons que manifestam a sabedoria de Deus

Também classificados como “dons de inspiração”, estes dons possuem características similares, demonstrando o “saber” e a “revelação” do Senhor.

2.1. A Palavra de Sabedoria. A sabedoria é a capacidade de conhecer a melhor decisão a tomar, a melhor escolha nas diferentes situações que se apresentam. Segundo o dicionário VINE, os termos gregos sophia e phronesis são traduzidos por sabedoria, entretanto, “ao mesmo tempo que o termo sophia é o insight (capacidade de observação profunda) da verdadeira natureza das coisas, o termo phronesis é a capacidade de discernir modos de ação com vistas aos seus resultados; enquando o termo sophia é teórico, o termo phronesis é prático”. Ou seja, o dom de sabedoria dota o crente com a orientação, o conselho, a percepção e o conhecimento para compreender com clareza a verdade intrínseca naquilo que se faz necessário conhecer. O portador deste dom geralmente alcança elevada maturidade espiritual, quando paralelo a manifestação espiritual, esforça-se em estudar a Escritura Sagrada almejando superabundar na graça e no conhecimento.

2.2. A Palavra do Conhecimento. Como já dissemos anteriormente, este dom independe do estudo ou preparo humano, porém está estreitamente relacionado com o ensino da Palavra de Deus. As palavras do saudoso pastor Valdir Nunes Bícego, afirmam: “Há diferença entre sabedoria e ciência (conhecimento). Sabedoria é habilidade de se aplicar bem a ciência; a ciência é a base para a sabedoria. A sabedoria ajuda-nos a sair de dificuldades; a ciência adverte-nos para que não entremos nelas”. Segundo Horton, o conhecimento pode revelar os segredos de Deus, os planos do inimigo ou os pecados secretos.

2.3. O Discernimento de Espíritos. Este dom permite ao portador a percepção espiritual de julgar o agente da manifestação (Deus, o próprio homem ou o diabo). Uma demonstração da operação do discernimento de espírito estar registrado no livro de Atos, capítulo 16.18 que diz: “E isto fez ela por muitos dias. Mas Paulo, perturbado, voltou-se e disse ao espírito: Em nome de Jesus Cristo, te mando que saias dela. E na mesma hora saiu.”

 

Portanto, é Deus quem conduz o crente por intermédio do Espírito Santo na manifestação dos dons de inspiração, concedendo a compreensão da natureza verdadeira das coisas, revelando por meio delas Sua vontade.

 

Bibliografia:

HORTON, Stanley M. et al. Teologia Sistemática: Uma Perspectiva Pentecostal. 4. ed. Rio de Janeiro: CPAD, 1997.

VINE, W. E. et. al. Dicionário Vine. O Significado Exergético e Expositivo das Palavras do Antigo e do Novo Testamento 1. ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2002.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

COMENTE, todavia seja respeitoso e identifique-se, comentário "anônimo" não será postado. Obrigado!

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial
 
Copyright © 2015. O ASSEMBLEIANO .
Design by Herdiansyah Hamzah . Published by Mais Template .
Creative Commons License